Padre não concorda com retorno das missas com número reduzido de fiéis

Padre Santana considerou “precipitada” a atitude do bispo Dom Milton Kenan Júnior que, em comunicado divulgado no último dia 22, autorizou as celebrações presenciais nas igrejas e capelas dos 13 municípios da Diocese, inclusive Colina e Jaborandi, com a participação reduzida de fiéis.

Depois de mais de quatro meses sem a participação presencial dos fiéis, o bispo alegou que “é momento de permitir que em alguns horários da semana se realizem celebrações com 20% do número de fiéis, respeitando as orientações sanitárias de cada município”.

O bispo esclarece ainda que “a decisão caberá a cada pároco que deverá informar a Chancelaria da Diocese sobre as medidas adotadas”. Os fiéis acima de 60 anos e crianças com idade até 12 anos não devem participar das celebrações.

O bispo também esclarece que o pároco poderá responder judicial e canonicamente se deixar de cumprir as orientações da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. “A participação reduzida dos fiéis está condicionada ao uso obrigatório de máscara, álcool em gel, distanciamento de 1,5m a 2m e medição da temperatura na entrada das igrejas. As medidas devem partir sempre da orientação das autoridades municipais e cessam no momento em que estas determinarem o contrário”, ressalta o bispo. É importante acrescentar que com a prorrogação da quarentena até 10 de agosto e a permanência na fase laranja, anunciada pelo governo estadual na sexta-feira, dia 24, as missas na região não foram retomadas. A realização está condicionada aos índices estatísticos e a reclassificação para fase menos restritiva. A prorrogação da quarentena aconteceu após o comunicado pela diocese divulgado.

DECISÃO PRECIPITADA

Padre Santana disse que não concorda com a atitude do bispo porque a região continua na fase laranja, que requer prudência e atenção por enquanto. “Conversei com os padres de Jaborandi e Morro Agudo, pertencentes a nossa região pastoral, que também são da mesma opinião: ainda não é momento para as celebrações presenciais, mesmo com o número reduzido de fiéis”, explicou Santana que salientou: “o bispo autorizou as celebrações presenciais, porém a decisão cabe ao pároco que pode ser responsabilizado até judicialmente. Essa é uma atitude precipitada e fora de hora, é preciso esperar mais tempo. Quando sentir segurança, agirei de acordo com o recomendado pelas autoridades sanitárias”.

O pároco abordou outro ponto: como vai escolher qual fiel vai assistir a missa já que todos têm o mesmo direito. “Tenho de cuidar do rebanho que Deus me deu porque é precioso e vale ouro. Grande parte dos fiéis tem mais de 60 anos, mais um motivo para ter prudência. A pandemia não é brincadeira e a vida está em primeiro lugar”, ressaltou Santana que informou que, por enquanto, os fiéis devem continuar acompanhando as celebrações por meio das redes sociais da paróquia.

Cidades que estão em outra fase de classificação da pandemia já estão realizando as missas com número reduzido de fieis. Como é o caso da Santuário Nacional de Aparecida que retomou as missas na terça-feira, dia 28. Foto: Thiago Leon/Santuário Nacional

 


Postado em 30/07/2020
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:4.069
Ontem:6.113
Total:31.334
Recorde:7.858
Em - 31/07/20