Justiça registrou mau comportamento de eleitores

O atraso na centralização dos dados pelo TSE não atrapalhou a comemoração dos eleitos, que foram atrás dos boletins de urnas afixados nas seções eleitorais e também no Cartório Eleitoral após o encerramento da votação.

A razão do atraso não foi divulgada com clareza, mas a informação repassada aos Cartórios foi de problemas técnicos no computador responsável pela totalização da votação.

O resultado oficial da eleição só foi divulgado pelo TSE por volta das 23h. “A totalização dos votos, nos três municípios, foi enviada às 18h30, mas só conseguimos imprimir os relatórios após a divulgação. Por conta desse atraso o TSE determinou o fechamento dos cartórios na segunda-feira”, disse Carlos Humberto Campos Júnior, chefe do Cartório Eleitoral, que informou que apenas uma urna da seção 55, na EMEF “Antonio Daher” – Cohab 2 apresentou problema em uma das teclas do terminal do mesário, que foi substituída por precaução.

Ele considerou essa como a pior eleição de todas no que se refere ao comportamento dos eleitores. “As pessoas insistiram em se aglomerar em frente às escolas, desrespeitando todas as orientações. Uma multidão se concentrou em frente à Escola Alexandre, em Jaborandi, dificultando o trabalho da Justiça Eleitoral. A polícia o tempo todo foi acionada pelo Cartório e o juiz eleitoral para impedir confusão. A falta de bom senso foi generalizada, principalmente em Jaborandi”, destacou Campos Júnior que acrescentou: “os eleitores vão votar despreparados e sem saber sequer a sequência da votação, criando confusão, aumentando as filas, etc”.

ELEITOR ESCREVEU NA TELA DA URNA

“Tivemos o caso de um eleitor, infelizmente não identificado, que usou a caneta que trouxe de casa para escrever na tela da urna. Isso aconteceu em uma das seções da Escola Venâncio. Uma eleitora alertou os mesários que havia algo estranho na tela. Os mesários tomaram a iniciativa de limpar os números escritos e a votação continuou, mas tivemos que parar nosso trabalho e deslocarmos até lá e interromper a votação. Pena que não foi identificado para ser preso em flagrante por crime eleitoral”.

E-TÍTULO NÃO FUNCIONOU

O aplicativo e-titulo, a grande promessa do TSE, apresentou instabilidade durante toda a eleição e os eleitores fora do domicílio eleitoral não conseguiram justificar a ausência, o que acumulou muitas pessoas nas escolas. “O pessoal do apoio logístico teve um trabalho inesperado para auxiliar os eleitores a preencherem o requerimento de justificativa”.

A eleição nos três municípios da 178ª Zona Eleitoral foi comandada pela técnica Beatriz, chefe do Cartório Carlos, promotora Patrícia e juiz Fauler.

 

 

 

 

 


Postado em 19/11/2020
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:2.564
Ontem:5.974
Total:31.347
Recorde:16.920
Em - 30/11/20