Colina confirmacaso de dengue

Catanduva registrou 10ª morte pela doença

Aedes aegypti: temido transmissor da dengue e chikungunya que apavora a região.

Mais um caso de dengue, na região central que concentra o maior número de casos, foi confirmado no início desta semana, aumentando para 7 o número de pessoas infectadas pelo vírus somente neste ano. Deste total, 5 casos são importados, quando a transmissão acontece fora da cidade. A Secretaria Municipal de Saúde aguarda o resultado de mais 4 casos suspeitos.

Muitos municípios da região enfrentam epidemia da doença, inclusive com óbitos, como é o caso de Catanduva que tem 10 mortes confirmadas. O município enfrenta uma epidemia de dengue e até o último dia 21 havia 2.144 casos positivos confirmados. O Departamento de Vigilância Epidemiológica aguarda ainda o resultado de 4.038 notificações e outras 398 suspeitas foram descartadas. A vizinha Bebedouro também está em alerta com 291 casos confirmados. Barretos tem 11 casos positivos da doença. Jaborandi, até o momento, não tem nenhum caso positivo da doença e as 3 notificações que aguardavam resultado de exame deram negativo.

O aumento de casos vem de encontro com o resultado da ADLAvaliação da Densidade Larvária realizada pelo Controle de Vetores em janeiro, que apontou alto risco para a dengue com 5,4% de infestação que está bem acima da indicada pelo Ministério da Saúde, que é de até 1%. A avaliação ainda identificou que latas e frascos descartáveis são os recipientes predominantes nas residências e na sequência estão ralos externos, tambores e depósitos de água, garrafas retornáveis, pingadeiras e vasos de plantas.

“O resultado é preocupante e precisamos contar com a colaboração da população na eliminação de qualquer recipiente que acumule água para que não se torne um criadouro do mosquito transmissor”, explicou a secretária de Saúde, Priscila Ramos Alexandre, que informou também que, “com o aumento do número de casos o combate tem sido intensificado. Além das vistorias diárias nas residências, temos realizado bloqueios, busca ativa de suspeitos e nebulização. Uma ação educativa também será realizada com os alunos das escolas municipais.

“A qualquer manifestação dos sintomas da doença a Vigilância Epidemiológica e o Controle de Vetores devem ser comunicados imediatamente para que possamos tomar as providências de controle e proliferação do mosquito”, conclui a secretária.

Nebulização, uma das armas de combate a dengue.


Postado em 28/02/2015
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:9.323
Ontem:
Total:9.323
Recorde:9.323
Em - 17/11/19