Paróquia inicia campanha para arrecadar valor do novo sino e pela permanência do antigo na cidade

O sino antigo lugar ao novo na torre da igreja matriz.

Os olhares de centenas de pessoas estiveram direcionados na mesma direção na quarta-feira, dia 9, quando o antigo sino foi retirado do campanário da igreja para dar lugar ao novo. A movimentação e a presença de um guindaste em frente à igreja matriz durante quase todo o dia despertou a atenção de centenas de pessoas, que acompanharam todo o processo de perto.

A curiosidade talvez esteja no fato que a população sempre ouviu o som do sino, mas nunca tinha tido a oportunidade de vê-lo e de chegar tão perto ao ponto de até mesmo tocá-lo. Algo que emocionou algumas pessoas que lembraram que tal fato havia acontecido 92 anos, quando o primeiro sino foi colocado na torre da igreja e de onde nunca havia saído até a troca, que aconteceu porque o sino antigo não estava mais funcionando e o som das badaladas era a reprodução de uma gravação.

As pessoas não queriam perder a oportunidade única e com os celulares registraram os momentos ao lado do antigo e do novo sino, inclusive postando as fotos nas redes sociais. A retirada e instalação foram comemoradas com aplausos. O trabalho foi paralisado para a realização de cerimônia, em frente à igreja, para a bênção do sino pelo pároco, antes de ser colocado na torre.

TROCA FOI COMENTADA NOS SERMÕES

A troca também gerou polêmica depois que a primeira matéria foi divulgada neste semanário na edição do dia 26 de novembro. O sino também foi assunto do sermão do padre em várias missas. Mas o que a maioria temia, não aconteceu. O antigo sino, considerado uma relíquia pelo seu valor histórico e cultural, vai permanecer na cidade e não será usado como abatimento para o pagamento da dívida com a empresa que confeccionou o sino novo.

Padre Santana revelou à reportagem que a empresa concordou em esperar o pagamento, estabelecendo um prazo para que isso aconteça. O que mudou é que agora o valor integral, de R$ 90 mil, terá que ser arrecadado junto à comunidade.

“Há pessoas que falam demais e não colaboram. Por outro lado os que não se manifestam, porém são os primeiros a ajudar. Quem exige tem que ser o primeiro a se dispor porque o sino é patrimônio da igreja, que é da cidade. tem direito de dar sugestões quem colabora”, declarou o pároco.

FAMÍLIA DO 1º DOADOR FEZ MAIOR DOAÇÃO

A campanha recebeu algumas doações e a maior delas até agora foi feita pelos familiares de Antônio Junqueira Franco “Nico Junqueira”, que fez a doação do sino à igreja matriz em 1923. A família doou R$ 30 mil para ajudar a paróquia no pagamento da dívida e para que o sino histórico permaneça em Colina. Os primos Ruy Varella e Antônio Junqueira Franco, que são netos de “Nico Junqueira”, primeiro prefeito de Colina e um de seus desbravadores, acompanharam a troca dos sinos. “Agradeço a todos que ajudaram, colaboraram e se empenharam para que esse grande acontecimento de fato se tornasse realidade”, disse Santana. Com a doação a dívida diminuiu para R$ 60 mil.

NOVO SINO SERÁ AUTOMATIZADO

A primeira badalada do sino ainda não aconteceu, mas no dia da instalação foi feito um teste e o som ouvido foi de ótima qualidade. “Quando estiver funcionando as badaladas do sino, que se movimentará de um lado para outro, produzirão seis tipos de sons diferentes”, contou Santana que revelou outra novidade. “O novo sino trabalhará no sistema de carrilhão e será automatizado, o que significa que bastará apertar um botão para ele tocar sozinho. A empresa Sinos Angeli, que confeccionou o novo sino, será responsável pela automação que custará R$ 6 mil”.

Quando a automatização for concluída o sino estará pronto e as primeiras badaladas deverão acontecer no final deste mês ou no início de janeiro. O novo sino tem todos os dizeres e símbolos do original, com a diferença que agora consta a inscrição “restaurado em 2015. Padre José Roberto Alves Santana e comunidade”. Outra curiosidade é que o sino traz a inscrição em latim “A Peste Fame Et Bello Libera Nos Domine”, que significa “O som é belo e dignifica o Senhor”.

O aspecto reluzente do sino novo também chamou a atenção e muitos se perguntaram: Se ele é realmente feito de bronze porque é dourado? O bronze polido e outros segredos dão a aparência iluminadora ao sino que irá tocar cinco vezes por semana, sempre meia hora antes do início das missas de quarta, sábado e domingo.

SINO ANTIGO NÃO VAI PARA O MUSEU

Padre Santana também está aceitando sugestões sobre o antigo sino, que não será colocado no museu. “O lugar dele é na igreja ou perto dela porque  faz parte da história da paróquia. O que sabemos até agora é que ele não vai sair da praça ou da igreja, onde foi colocado”. Até agora surgiram muitas ideias, mas a que tem ganhado mais força é que o sino fique numa estrutura suspensa, próximo à igreja.

O antigo sino foi cercado pelo público quando foi colocado no chão.

Antes de ser içado ao topo da igreja o novo sino foi abençoado pelo padre.

As imagens que fizeram parte da troca dos sinos, que movimentou a cidade no último dia 9.


Postado em 19/12/2015
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:7.282
Ontem:
Total:7.282
Recorde:7.282
Em - 15/11/19