Apesar da ameaça, comerciante reconhece ladrão que é preso

Antes de sair da loja que acabava de assaltar, o ladrão ameaçou a comerciante com as seguintes palavras, “se falar para a polícia eu volto e te mato”. A comerciante Cláudia Rodrigues, que reside no Jardim Santa Lúcia 25 anos e é proprietária da Cláudia Modas, foi assaltada no dia 3, às 14h, quando o ladrão entrou na loja empunhando uma faca.

“Ele chegou querendo dinheiro, abriu a gaveta e pegou duas notas de R$ 20,00 falsas, que tinha recebido. Eu o avisei que as cédulas eram falsas, mas ele não se importou. Também levou meu celular e um saco cheio de chaveiros que o meu pai tinha acabado de trazer de Aparecida”, relatou a comerciante que imediatamente acionou a PM. O ladrão, que não estava com o rosto coberto e usava apenas um boné, dizia para a vítima não olhar para ele, e fugiu numa bicicleta que deixou nas imediações da loja.

Sem câmeras no local, a única forma de identificar o bandido foi através do reconhecimento. Muitas vezes as vítimas não fazem isso por medo das ameaças que sofrem, o que atrapalha o desfecho do caso. O autor acaba sendo liberado porque não como identificá-lo. Mas não foi isso que aconteceu, a comerciante fez o reconhecimento e o bandido foi parar atrás das grades de onde havia saído recentemente, no dia 24 de fevereiro, onde cumpria pena por outro crime.

“Não precisa ter medo, é para isso que existe a polícia. Os bandidos fazem pressão psicológica para amedrontar-nos e não abrirmos a boca. Se o medo tomar conta das vítimas a situação vai piorar. Se não fizesse isso ele voltaria toda semana para me roubar. A minha sorte é que ele é maior de idade, reincidente e vai pagar pelo que fez”, desabafou a comerciante.  

Ela também pediu mais policiamento na cidade. “O problema são as leis que geram a impunidade. A polícia trabalha como pode, é preciso pedir reforço policial para aumentar o efetivo que está defasado”, disse Cláudia.

A população tem que fazer a sua parte. Os bandidos não podem se dar bem sempre. É preciso registrar as ocorrências e ir até as últimas consequências para termos nossos direitos de cidadãos garantidos.

Fachada da “Cláudia Modas” que também foi “visitada” por ladrão que se deu mal. 


Postado em 11/03/2016
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:8.564
Ontem:2.867
Total:11.431
Recorde:8.564
Em - 16/11/18