Vazamento de amônia em frigorífico provoca morte e deixa 30 feridos 

Acidente mobiliza equipes de resgate e empresa diz que forneceu apoio necessário a colaboradores

Movimentação em frente ao frigorífico em Barretos, logo após o vazamento de amônia que provocou a morte de um trabalhador e deixou 30 feridos. Tininho Junior

Uma pessoa morreu e outras 30 ficaram feridas por volta das 11 horas de ontem, após um vazamento de amônia no frigorífico Minerva, em Barretos.

De acordo com a polícia, a vítima fatal é Clademilson Aparecido Leal, 39, morador do bairro Santa Helena.

Os bombeiros informaram que a área do frigorífico foi evacuada e isolada. Equipes dos Bombeiros, PM, SAMU e Cetesb foram ao local.

Os feridos foram levados para a Santa Casa de Barretos e para a Unidade de Pronto  Atendimento (UPA).

EMPRESA

Em nota, a empresa Minerva Foods confirmou que ocorreu vazamento de amônia em sua planta de Barretos, mas que foi contido logo após o acidente. A companhia informou que forneceu todo o apoio necessário aos seus colaboradores.

“A empresa reforça que prima pelo cumprimento de todas as normas de segurança. A companhia ainda não tem mais detalhes sobre o incidente e, neste momento, prioriza o atendimento às pessoas”, informou a nota divulgada  por volta das 14 horas.

FERIDOS

A Santa Casa de Barretos divulgou nota sobre o atendimento às vítimas do acidente no Frigorífico Minerva.

“Foram 21 vítimas atendidas até o momento e um óbito.

Todos atendidos e medicados.

O hospital está preparado para este tipo de ocorrência e através de um plano de contingência que foi colocado em ação imediatamente, as famílias puderam receber um atendimento multidisciplinar com psicólogos e assistentes sociais”, informou o hospital.

Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), foram atendidas 9 vítimas do acidente, sendo que  7 foram liberadas até às 16 horas de ontem, segundo a assessoria da prefeitura.

CETESB

O gerente regional da CetesbDavi Faleiros, disse que o órgão tomará providências em relação ao caso.

“Estamos acompanhando a operação do Corpo de Bombeiros e vamos aguardar um relatório final para que possamos dar andamento na ação administrativa que cabe à Cetesb.

Vamos avaliar os danos ambientais e os danos pessoais que possam ter ocorrido.

Com a somatória destes relatos, com certeza vamos nos manifestar formalmente e lavrar aquilo que competir ao caso em questão em termos de penalidade administrativa”, disse.

“A preocupação maior neste momento é evitar maiores danos às pessoas envolvidas.
Este gás é bastante tóxico e por isso existe todo um cuidado em relação à montagem, um plano de evacuação que previamente aprovamos.

Mas independente dessa situação, acidentes acontecem e é importante que as empresas estejam preparadas e equipadas para enfrentar este tipo de cenário”, completou o gerente.

FUNCIONÁRIA

Uma funcionária do frigorífico relatou os momentos de tensão dentro da unidade industrial quando os trabalhadores começaram a passar mal devido ao vazamento de amônia.

“Não para respirar com o cheiro de amônia, é muito difícil. Vi bastante gente sendo socorrida.

Quando percebi, tinha acontecido. Todo mundo estava saindo desesperado, eu senti o cheiro e saí correndo. Mas não sei dizer em qual setor aconteceu e qual o horário.

ouvi muitos comentários sobre pessoas que passaram mal e foram levadas ao hospital e  de gente que morreu”, afirmou.

POLÍCIA

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 1º Distrito Policial, um  representante do frigorífico informou que por volta das 11 horas houve um rompimento da tubulação de amônia por cerca de três minutos, sendo os colaboradores atingidos encaminhados para a Santa Casa.

Fonte: Jornal O DIÁRIO


Postado em 02/09/2016
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:4.689
Ontem:2.867
Total:7.556
Recorde:4.689
Em - 16/11/18