Quando será votado o salário do vereador?

Valor pode chegar a R$ 7.596,00

É isso mesmo, o salário do vereador colinense pode chegar a R$ 7.596,67 (sete mil, quinhentos e noventa e seis reais e sessenta e sete centavos). A exemplo do que vem acontecendo tempos, os vereadores colinenses optam pelo limite máximo da remuneração. A lei diz que o vereador poderá receber até 30% do que ganha o deputado estadual (R$ 25.322,25 valor praticado a partir de fevereiro de 2015). Nada impede que o percentual seja 5%, 10% ou 15%.

QUANDO???

Até o momento a presidente da Câmara, vereadora Edinalva O. P. de Sousa, não marcou a data para a votação do Projeto de Resolução que fixa o salário dos vereadores. Ela afirmou, anteriormente, que a votação deveria ocorrer antes das eleições.

E você colinense, falou com seu vereador a este respeito?

Em tempos de crise, com queda dramática de receita que chega a mais de 25%, não haveria motivos para aumentar salários. Quem está sendo penalizado com a redução de recursos são os funcionários públicos municipais, que cerca de 3 anos não têm reajuste salarial e também não receberam a reposição da inflação em seus salários. Será que isto será levado em conta pelos nobres vereadores?

Durante a reunião para fixação dos salários dos próximos vereadores, também será votado o salário do prefeito que hoje é de R$ 19.104,15 e do vice que atualmente é de R$ 13.979,44. Segundo levantamento, os mais altos salários da região.

30 DIAS

A Câmara tem apenas 30 dias para votar os novos salários dos políticos se, de fato, acontecer antes das eleições. As reuniões ordinárias acontecem na 1ª e 3ª segundas-feiras de cada mês, portanto nos dias 5 e 19 de setembro tem reunião. Porém nada impede que seja votado em um reunião extraordinária. O eleitor está atento e quer saber quem vai votar a favor do super salário e quem vai ter a coragem e a decência de reduzir este salário, considerando a crise que toma conta do país, do estado e do município.

PROTESTOS – A cidade de Jacarezinho/PR virou destaque nacional em 2015 quando a população se revoltou com o aumento do número de cadeiras na Câmara, que pulou de 9 para 13. Eles foram para as ruas, estiveram nas reuniões e conseguiram reverter a decisão. O município ficou com 9 cadeiras e o salário foi reduzido de R$ 6.200,00 para R$ 4.340,00. As camisetas estampavam a frase: “TODO PODER EMANA DO POVO”


Postado em 03/09/2016
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:11.599
Ontem:6.672
Total:18.271
Recorde:11.599
Em - 13/11/18