Depois de duas tentativas Fátima conquista vaga na Câmara 

Os 400 votos recebidos não surpreenderam Aparecida de Fátima Piai Ramadan que nas duas últimas eleições, 2008 e 2012, ficou entre as mais votadas, mas o coeficiente eleitoral e a filiação partidária a deixaram de fora do Legislativo.

Depois de duas tentativas            que não deram certo ela não desistiu e, com o apoio da família, conseguiu se eleger vereadora pelavez, sendo a 2ª mais votada. Fátima será uma das quatro mulheres eleitas para a próxima legislatura. O aumento da representatividade feminina é fato inédito no Legislativo colinense. A professora Fátima, 51 anos, trabalha no financiamento de veículos com o marido Yassin com quem três filhos: Yasser, Fátima e Lamis.

Foi surpresa ou esperava o número de votos que obteve?

Tendo em vista a votação alcançada nas últimas eleições que participei, foi a votação aproximada do que esperávamos. Ficamos contentes com o resultado.

Por que quis ser vereadora?

Sempre acompanhei a carreira política do meu esposo que, como todos sabem, trouxe inúmeros benefícios para a nossa cidade. Também trabalhei em prol da comunidade no PLIMEC – Plano de Integração do Menor na Comunidade e no projeto “Amigo da Escola” na escola José Venâncio Dias. Pretendo dar continuidade a esse trabalho.

Quais as prioridades para seu mandato?

É necessário que tomemos primeiro conhecimento do que se passa no nosso município, especialmente as principais reivindicações, para que possamos analisá-las e propor as medidas necessárias. O contato com a população no período de campanha é breve, de modo que somente durante o exercício do mandato e intensificação do contato será possível, de fato, analisar as principais pendências e problemas que acometem a população.

Qual o primeiro projeto que apresentará quando assumir o cargo?

Acredito que as áreas da saúde, segurança e emprego são as principais necessidades mais urgentes.

O que Colina necessita e não mais para esperar?

Aperfeiçoar os setores da segurança, da saúde, da educação e esportes.

Quais as principais reclamações do povo durante a campanha?

Na área da saúde, a falta de médicos especializados. Acredito também que falta no município um incentivo maior na área de esportes. Se houvesse um plano organizado de incentivo ao esporte aos jovens, acredito que o problema das drogas poderia ser minorado.

Vai se empenhar para tentar resolver essas reclamações, ouvidas durante a campanha?

Sim, mas todos devem ter consciência que a função do vereador é a criação de projetos de lei e a fiscalização e cobrança do Executivo. Nosso compromisso é cobrar do Executivo, que é quem possui competência no assunto, a solucionar essas questões.

Tem intenção de assumir a presidência, sim ou não? Por quê?

A minha prioridade é trabalhar em prol da população colinense, independentemente de exercer ou não a presidência, mas se couber a mim este desafio eu aceitarei.

Tem contato com algum deputado do partido (PEN)? Isso é importante para conseguir recursos para o município?

Sim, o contato com deputados é essencial para que possamos conseguir verbas para nosso Município.

Como você analisa a eleição de quatro mulheres para a próxima legislatura, fato inédito na Câmara Municipal?

A eleição de quatro mulheres demonstra que nosso município tem acompanhado o crescimento das mulheres no mercado de trabalho, principalmente na política, acabando com o estereótipo de que a mulher tem que se dedicar aos afazeres domésticos. Hoje, em todo mundo, vemos que as mulheres têm, cada vez mais, alcançado altos cargos políticos. Podemos verificar esse acontecimento na América Latina, Europa e, de forma inédita também, nas eleições dos EUA que se aproximam, em que uma mulher encontra-se atualmente mais cotada para assumir a presidência. Nosso município está em consonância com essa tendência.

O salário do vereador na próxima legislatura será de R$ 7.596,00. O valor, que já era elevado, agora ficou ainda maior. A população ficou revoltada com o reajuste abusivo já que acontecem apenas duas reuniões ordinárias por mês e o cargo político não deve ser confundido como emprego. Como analisa isso?

Acreditamos que o valor é mesmo alto para o porte de nosso município. Acredito que é possível a redução, devendo o valor ser fixado com base nas atribuições e relevância do cargo. Devemos lembrar, contudo, que o vereador tem papel importante na cidade, pois pela Constituição Federal, além de editar as leis, é sua a função de fiscalizar o Executivo. Além do mais, grande parte dos recursos recebidos pelo Município decorre do empenho do vereador junto a deputados estaduais e federais. As duas reuniões são para debater, acredito, as pendências municipais. Mas o bom vereador deve trabalhar nos demais dias para buscar esses recursos.

Movimento iniciado na cidade quer a diminuição do salário do vereador. Na sua opinião o salário deve ser reduzido ou o valor é justo para a função?

Esse movimento iniciado em nossa cidade deve ser elogiado, pois é importante que o cidadão participe mais ativamente, para cobrar resultados.


Postado em 15/10/2016
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:5.313
Ontem:
Total:5.313
Recorde:5.313
Em - 12/11/18