Daniel revela que projetos vão revolucionar o Legislativo

O candidato a vereador Daniel Augusto Silva Cury, eleito com 357 votos pelo PDT, foi o 3º mais votado nas urnasApesar de estreante na política, pretende por em prática o conhecimento adquirido na família que 40 anos está na vida pública, começando pelo avô Salomão Jorge Cury. O exemplo foi seguido pelos filhos “Mãozinho” e Assef que, por várias legislaturas, também assumiram o cargo de vereador.

Na entrevista ele revela a intenção de assumir a presidência da Câmara e que seus projetos irão revolucionar a Casa de Leis colinense. Disse também que o discurso que o custo de implantação de uma UTI no Hospital José Venâncio é caro não mais para suportar e tolerar que a população não pode mais esperar por esse importante e vital benefício.

Ele começou a viabilizar encontros com deputados para conseguir recursos para a cidade e se comprometeu a ser um vereador atuante, que irá de encontro às necessidades do povo. O comerciante, de 36 anos, é casado com Olga Barcellos e tem um casal de filhos.

Foi surpresa ou esperava o número de votos que obteve?

Na verdade essa foi uma eleição atípica. Eu esperava com toda humildade uma votação maior, mas nessa eleição houve uma pulverização de votos muito grande, considerando também que tivemos na família o meu irmão Rafael Cury disputando também uma vaga no Legislativo colinense que, por sua vez, teve uma votação expressiva, 248 votos, faltando apenas 15 votos para se eleger.

Por que quis ser vereador?

Cresci envolvido com a vida pública. Como vereador creio que poderei contribuir cada vez mais com o desenvolvimento de nossa cidade. Venho de uma família com mais de 40 anos de tradição na vida pública colinense, começando com meu avô Salomão Jorge Cury, com cinco mandatos; meu pai “Mãozinho” também com cinco mandatos e meu tio Assef com três mandatos.

Quais as prioridades para seu mandato?

Tenho como objetivo fiscalizar os atos dos chefes do Executivo. Propor leis que venham de encontro com os anseios de nossa população e aprovar boas leis, tanto do Executivo como do Legislativo, que é atribuição de um legislador.

Qual o primeiro projeto que apresentará quando assumir o cargo?

Não existe especificamente o primeiro projeto porque mesmo quando se apresenta ou aprova um bom projeto de lei depende, na verdade, do chefe do Executivo cumprir ou não. Por isso caberá uma atuação forte e combatente como vereador.

O que Colina necessita e não mais para esperar?

Primeiro lugar o que Colina necessita e não mais para esperar não depende do Legislativo e sim do prefeito municipal ter a sensibilidade que necessitamos de uma UTI no nosso hospital, cabendo sempre ao vereador ser o porta-voz da população e cobrar esta implantação no nosso hospital que tão importante e vital é para salvar vidas. Este discurso que é caro não mais para suportar e tolerar.

Quais as principais reclamações do povo durante a campanha?

Reclamações diversas, principalmente a ausência dos vereadores no dia a dia junto à população.

Vai se empenhar para tentar resolver essas reclamações, ouvidas durante a campanha?

Sim. Serei, com a graça de Deus, um legislador atuante procurando sempre ter a sensibilidade das necessidades que Colina tem para junto com o Executivo procurar solucioná-las.

Tem intenção de assumir a presidência, sim ou não? Por quê?

Sim, porque tenho bons projetos para colocar em prática como presidente; projetos que irão revolucionar o Legislativo colinense.

Tem contato com algum deputado do partido? Isso é importante para conseguir recursos para o município?

Tenho muitos contatos, inclusive comecei a viabilizar encontros com vários deputados, inclusive com um Senador da República para angariar recursos tão importantes e necessários para o desenvolvimento de nossa cidade, embora esta questão não compete ao vereador, mas seguindo os passos do meu pai “Mãozinho” que trouxe aproximadamente 6 milhões de reais de recursos para diversas áreas de nossa cidade, como saúde, educação e infraestrutura.

O salário do vereador na próxima legislatura será de R$ 7.596,00. O valor, que era elevado, agora ficou ainda maior. A população ficou revoltada com o reajuste abusivo que acontecem apenas duas reuniões ordinárias por mês e o cargo político não deve ser confundido como emprego. Como analisa isso?

Na verdade se fala do salário do vereador, mas ninguém questiona o salário do prefeito, aproximadamente R$ 18 mil; o vice-prefeito cerca de R$ 13 mil e o secretario R$ 7.000,00. se questiona o vereador, sendo que os mesmos têm que passar pelo crivo do Poder Legislativo.

Movimento iniciado na cidade quer a diminuição do salário do vereador. Na sua opinião o salário deve ser reduzido ou o valor é justo para a função?

Se é muito ou pouco, depende de quem faz por merecer


Postado em 22/10/2016
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:11.556
Ontem:6.672
Total:18.228
Recorde:11.556
Em - 13/11/18