Ministério Público analisa fixação do novo salário dos vereadores de Jaborandi

A Câmara Municipal de Jaborandi também prestou informações ao MP sobre o salário dos vereadores para a próxima legislatura.

O promotor de justiça, Matheus Botelho Faim, requisitou informações junto à Câmara Municipal de Jaborandi sobre a fixação da remuneração do vereador que, atualmente, é de R$ 2.380,00/mês e saltou para R$ 3.625,00 para a próxima legislatura. Dr. Matheus disse que a documentação será analisada para verificação de qualquer irregularidade.

O novo salário do vereador jaborandiense, que representa um reajuste de 52%, aconteceu no dia 14 de junho e foi aprovada por 7 votos a favor e 2 contra. Na mesma reunião também foi aprovado o novo salário do prefeito e vice. Votaram a favor os vereadores: André Muramoto, Antônio Nunes, Douglas Souza, Júlio Cardoso, Marcelo Almeida, Moacir Júnior e o presidente Carlos Pasquini. Os dois que votaram contra foram Marise Borges Neto e Ailton Crispim.

PROJETO PELA REDUÇÃO NÃO FOI VOTADO

A vereadora Marise forneceu cópia à reportagem do projeto, assinado por ela e pelo vereador Crispim, que propunha a redução do salário dos vereadores, prefeito e vice. Segundo consta no protocolo, o projeto foi apresentado por eles no dia 1º de junho. A vereadora conta que o mesmo foi até lido na reunião do dia 1º, porém não foi colocado em votação.

“Até agora não entendi o motivo pelo qual o nosso projeto não foi votado, que foi apresentado antes do atual projeto, protocolado e votado no dia 14 de junho”, declarou.

No projeto de lei os dois vereadores sugeriram que o subsídio do prefeito, que hoje é de R$ 10.800,00, fosse reduzido para R$ 5.400,00. O do vice-prefeito, de R$ 5.400,00 para R$ 2.700,00. O projeto de lei, de autoria da mesa diretora que foi aprovado pela Câmara, reajustou o subsídio do prefeito para R$ 12.000,00 e do vice para R$ 6.000,00.

no projeto de resolução, os dois edis propuseram que o vereador da próxima legislatura receba R$ 1.190,00 e o presidente da Câmara R$ 1.490,00. No projeto aprovado o salário do vereador foi majorado em 52,3% e saltou de R$ 2.380,00 para R$ 3.625,00. O do presidente da Câmara foi de R$ 2.980,00 para R$ 4.000,00.

RECURSOS PARA O TRANSPORTE ESCOLAR

Para os autores, a justificativa ao propor a redução em 50% no salário do prefeito, vice e vereadores é que o valor economizado (quase R$ 1 milhão em 4 anos), seja aplicado na aquisição de veículos mais modernos e confortáveis para o transporte escolar e entrega de uniformes aos alunos da rede municipal. Citam o clamor da população pela redução, como em outros municípios e também a necessidade de economizar diante da crise financeira do país e, consequentemente, do município.

Marise e Crispim ainda ressaltaram que, “o funcionalismo público não tem reajuste cerca de 3 anos e vários servidores precisam receber complementação salarial, pois ganham menos que um salário mínimo”, então não tem justificativa esse aumento exagerado”. Eles esclareceram que a proposta foi apresentada bem antes das prévias eleitorais, portanto sem nenhuma relação com o resultado das eleições.

O vereador Crispim (SD) perdeu para Marcos Daniel a disputa pelo Executivo. Marise (PMDB) não quis disputar a reeleição para o Legislativo.


Postado em 11/11/2016
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:5.878
Ontem:
Total:5.878
Recorde:5.878
Em - 21/11/18