CF vai promover cultura de paz para superar a violência

Quase 13% dos assassinatos do planeta são cometidos no Brasil

As estatísticas são alarmantes e baseadas nelas a CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil aborda na Campanha da Fraternidade deste ano, lançada ontem em todo o país, a “Fraternidade e Superação da Violência” como tema e lema “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

“A campanha não é um projeto somente da Igreja, mas da sociedade. Não podemos cruzar os braços, fechar os olhos e fazer de conta que nada está acontecendo. Juntos, unidos, de olhos abertos e mãos dadas vamos vencendo e superando as estatísticas”, disse Padre Santana.

Apesar de possuir menos de 3% da população mundial o Brasil responde por quase 13% dos assassinatos do planeta. Acontecem mais homicídios aqui do que em diversas guerras recentes. Outra triste realidade é que 5 pessoas são mortas por arma de fogo a cada hora, o que resulta em 123 assassinatos por dia. “Em 2014 houve mais de 40 mil mortes por arma de fogo. No Brasil ocorrem mais mortes dessa forma do que nas chacinas e atentados que acontecem em todo o mundo”, ressaltou o pároco.

A CF ainda vai abordar a violência em todos os níveis, cometida contra mulheres, idosos, jovens e crianças. “As agressões ocorrem principalmente dentro de casa, 71,8% delas, cometidas contra a mulher, aconteceram no domicílio da vítima. Em 43,3% dos casos o agressor é o parceiro ou ex-parceiro da vítima, que tem idade entre 30 a 39 anos. Estima-se que apenas 7,4% dos agressores foram condenados ou aguardam julgamento”, revelou Santana que citou também o tráfico de drogas como a causa e consequência da criminalidade. “O povo está encarcerado em suas residências e os bandidos nas ruas. A polícia até faz a parte dela, mas as leis não colaboraram. A maioria não denuncia porque o medo impera na sociedade”.

O padre ainda disse que, “o objetivo é que através das reflexões se construa a fraternidade, através da promoção da cultura de paz, da reconciliação e da justiça à luz da palavra de Deus como caminho de superação da violência”.

PARA HAVER MUDANÇA É PRECISO PARTICIPAÇÃO

Ele disse que para haver mudança é preciso que cada cidadão faça a sua parte e citou a “Vizinhança Solidária” como exemplo. “A paróquia faz parte desse grupo de whatsapp que funciona muito bem porque todos participantes avisam sobre suspeitos. Cria-se uma responsabilidade de um cuidar do outro e todo mundo fica atento. A polícia, que também faz parte, age e evita o pior. Há vários grupos em diferentes bairros da cidade em fase de implantação”.

TEMPO DE PENITÊNCIA E CONVERSÃO

A missa de abertura da CF, realizada na Quarta-feira de Cinzas, na igreja matriz, também deu início à quaresma, tempo de penitência, conversão e que prepara os cristãos para a Páscoa. “No momento da distribuição das cinzas, que é um dos ritos da quaresma, podemos nos converter e crer no evangelho. Não adianta orgulho e vaidade porque não somos nada, apenas pó e a ele tornaremos. Precisamos nos converter para buscar a salvação e estar perto de Deus”.

A  Paróquia recebeu 1.200 livros que serão distribuídos nas 21 comunidades para as reflexões nas vias sacras realizadas nos bairros às terças-feiras. O material também está à disposição de todos que queiram refletir sobre o tema da CF em grupos ou no ambiente familiar. “Essa não é uma luta da Igreja, que lança o desafio para que lutemos juntos porque a violência é problema de todos”, concluiu padre Santana.

Cartaz que ilustra a Campanha da Fraternidade, que também dá início à quaresma.


Postado em 17/02/2018
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:5.588
Ontem:
Total:5.588
Recorde:5.588
Em - 14/11/18