Prédios públicos e rua ganham novas denominações

CAPA - O projeto de lei de autoria do Executivo e que foi aprovado pela Câmara dá nova denominação a rua e prédios públicos. A medida foi orientada pelo Ministério Público que pediu o cumprimento da lei federal que proíbe dar nome de pessoas vivas a bens públicos. A partir de agora a rua em frente ao Fórum (foto), que recebia o nome do ex-prefeito Dr. Adilson Sturaro, passa a denominar-se Rua “Nestor Silveira Guimarães”.

Depois de aprovado na íntegra pela Câmara Municipal, o prefeito Dieb Taha sancionou no início deste mês 3 projetos de lei de sua autoria que dão novas denominações a prédios públicos e rua.

O Recinto, onde acontece a Festa do Cavalo, passou a ser denominado “Recinto Municipal 9 de Julho”. A creche da Pedreira passa a se chamar: “Escola Municipal de Educação Infantil André Garcia” e a rua em frente ao Fórum agora leva o nome de “Nestor Silveira Guimarães”.

Veja a seguir a justificativa e exposição de motivos que o prefeito apresentou juntamente com os projetos que foram aprovados pelos vereadores. A mudança de nomes de logradouros e prédios públicos foi recomendada pelo Ministério Público, que apontou irregularidades em dar nome de pessoa viva aos bens públicos.

O Projeto de Lei nº 007/2018 altera o nome de Recinto Municipal “Dr. Mário de Felício” para “Recinto Municipal 9 de Julho”.  Justificativa: “A escolha do novo nome: “Recinto Municipal 9 de Julho” se justifica pela importância da referida data – tanto para o Estado de São Paulo, considerando que é a data da Revolução Constitucionalista de 1932; mas também para o município de Colina, em especial para o próprio Recinto, que se notabilizou por ser criadouro de cavalos que serviam ao Regimento da Polícia Montada “9 de Julho”, da Polícia Militar do Estado de São Paulo – inclusive sendo um dos motivos de Colina ser reconhecida como a Capital Nacional do Cavalo. Por isso, a denominação do Recinto demonstra a pertinência e a relevância do nome escolhido. Também é importante destacar que um dos maiores símbolos da cidade é a Festa do Cavalo de Colina, cuja sede é o Recinto e que, todo ano é realizada na semana do dia 9 de julho”.

Já o Projeto de Lei nº 032/2018, dá denominação à rua do bairro CECAP, onde está o Fórum, antes denominada “Dr. Adilson Sturaro” agora recebe o nome de “Nestor Silveira Guimarães”. A escolha do novo nome acompanha a seguinte explanação: “Nestor Silveira Guimarães teve notória participação no desenvolvimento de nossa cidade. Ele nasceu em Monte Azul Paulista, onde residiu até a juventude; cursou a faculdade de Farmacologia no Rio de Janeiro e, em meados de 1940, adquiriu uma farmácia no povoado de São José dos Macacos, na Fazenda São José, em Colina, onde passou a residir e trabalhar, conquistando a simpatia de todos os moradores do local.

Em 1944 casou-se com Sadi Drubi, filha de Jorge Drubi e Vergelina Pena Drubi. Dessa união nasceram dois filhos: Nelson Silveira Guimarães e Carmen Silvia Drubi Guimarães. Na década de 60, o Sr. Nestor adquiriu a Farmácia São José, localizada na Rua 7de Setembro, e passou a residir com a família em Colina.

Além de farmacêutico, Nestor destacou-se também em vários cargos públicos, tendo exercido em várias ocasiões, em caráter substituto ou interino, a função de Delegado de Polícia local; foi secretário da Câmara Municipal, vereador e assessor de gabinete da Prefeitura, onde permaneceu por vinte e sete anos, até 1992, quando se aposentou. Pertenceu aos quadros do Rotary Club, presidiu o Grêmio Cultural e foi um dos fundadores da Loja Maçônica “Fraternidade e Carinho”.

Pessoa sensata, cordial e afável, o Sr. Nestor Silveira Guimarães angariou durante a sua vida, muita simpatia e inúmeras amizades, tendo falecido em 14 de abril de 1996”.

O Projeto de Lei nº 049/2018, denomina a Creche da Pedreira, localizada na Rua 7 de Setembro, de “Escola Municipal de Educação Infantil André Garcia”, antes denominada “Keila Gomes da Silva Garcia”.  “André Garcia foi pessoa de grande destaque na sociedade colinense, é nascido em Luzitânia, distrito de Jaboticabal. É filho de imigrantes espanhóis. Em 1962 casou-se com Keila Gomes da Silva, em Jaboticabal, residindo nesta cidade até 1970 quando, por ocasião da compra da Fazenda São Joaquim, em Colina; mudou-se com a esposa e suas três filhas para cá.

Com ele vieram mais três famílias e juntos introduziram no município a cultura do algodão. Foi grande incentivador pela instalação da Destilaria Andrade, atual Usina Guarani, doando, à época, parte de suas terras para sua construção. Porém, depois a usina foi construída num outro local.

Foi presidente do Rotary Club e fundador da Loja Maçônica. Também foi grande incentivador para fundação da Apae, entidade da qual foi presidente entre os anos de 1986 a 91. Presidiu também o Grêmio Cultural de 1981/83. Sempre foi uma pessoa ativa, participativa e aqui fez muitos amigos, desde os mais simples até as grandes personalidades, não fazendo diferença entre as pessoas. Faleceu em novembro de 2010”, relata a exposição de motivos.

“Estes nomes homenageiam pessoas importantes que fizeram parte da história do município com destaque para as áreas sociais e o bem estar da comunidade”, destacou o prefeito Dieb.

“Recinto Municipal 9 de julho”.

“EMEF André Garcia”.


Postado em 19/05/2018
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:5
Ontem:
Total:5
Recorde:5
Em - 13/12/18