A poluição sonora está se tornando cada vez mais frequente, perturbadora, abusiva e desrespeitando as leis em nossa cidade... Será que existe lei para coibir estes abusos??? A quem caberia fiscalizar seu cumprimento, Polícia,  Prefeitura??? 
O cidadão não precisa ser estremecido com uma avalanche de som para ouvir a propaganda do comércio, do circo ou da festa. O som da música dos carros, que deveria ser exclusivo do motorista e seus passageiros, passou a ser coletivo por imposição, tipo “goela abaixo“. 
A propaganda volante deve sim respeitar os limites de decibéis plausíveis. O propagandista deve ser consciente, bem como o empresário ao contratar o publicitário. 
Os motoristas que turbinam seus carros com toneladas de som não poderiam, ou melhor, não deveriam cruzar as ruas da cidade, madrugada afora, acordando ou assustando idosos e crianças a bel prazer, desvairadamente e impunes. 
Onde ficou o respeito. E o direito de um não termina onde começa o do próximo??? Portanto, cabe sim às autoridades fiscalizar e punir os transgressores das leis. 
Algumas cidades da região encontraram alternativas para coibir estes abusos, com o simples uso de um aparelho que mede a intensidade do som, o decibelímetro. Por que isso não ocorre aqui??? 
A população não merece esta atenção??? Sem falar que em nossa cidade temos centenas de funcionários que trabalham no sistema de turnos nas indústrias São José, Cutrale e no Pedágio e a tão esperada hora de dormir, se torna um pesadelo. Vamos estabelecer limites, critérios, equilíbrio. Ninguém é contra a divulgação, mas sim a perturbação. 

Postado em 08/06/2012
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:5.245
Ontem:
Total:5.245
Recorde:5.245
Em - 19/12/18