Mais união e menos críticas para efetivação de políticas públicas é foco da CF 2019

Cartaz da CF 2019 que convida os fiéis a compreender e participar mais efetivamente das políticas públicas.

A CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil percebeu que uma grande parcela da população desconhece os direitos garantidos nas leis e até na própria Constituição. Essa necessidade de informação foi fundamental para a escolha do tema da Campanha da Fraternidade deste ano: “Fraternidade e Políticas Públicas”, que também tem como lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

A abertura oficial da CF em todo o Brasil aconteceu ontem, Quarta-Feira de Cinzas, início do período quaresmal para os católicos. Em Colina a campanha começou com a celebração da missa de imposição das cinzas na igreja matriz.

“A quaresma é um período de reflexão. Não somos nada e um dia retornaremos para junto de Deus sem levar nada. Portanto temos que sempre fazer o melhor enquanto ainda temos vida”, disse padre Santana que justificou a escolha de um tema polêmico pela CNBB para a campanha deste ano. “Na linguagem popular políticas públicas são resoluções de problemas que cabem à população, a cada cidadão, que precisa conhecer as leis. Se não sei dos meus direitos como vou reivindicar algo?”.

EXEMPLOS DE POLÍTICAS PÚBLICAS NA COMUNIDADE

O pároco alertou sobre os direitos do cidadão, que também tem deveres. “Não podemos cruzar os braços e esperar que a solução dos problemas apareça como mágica. Como vamos melhorar a segurança pública? Esperar a solução do governo? O grupo de Vizinhança Solidária é um exemplo de política pública. Os moradores se mobilizaram e estão instalando câmeras em vários pontos da cidade, o que coopera para que muitos crimes sejam evitados”, revelou Santana que salientou: “antigamente falávamos diretamente com o policial e hoje ao discar 190 a ligação cai em Ribeirão Preto, onde existe uma central. Outro agravante é que dependendo do tipo de ocorrência e o horário em que ocorre, o policial precisa se deslocar a Barretos deixando a cidade desguarnecida”.

Ela também citou exemplos na área da saúde. “Prevenção também é questão de política pública. A carreta do Hospital de Amor anualmente vem a Colina realizar exames de mamografia e papanicolau gratuitos, mas muitas mulheres deixam de fazê-los. A dengue também é uma questão de saúde pública. Tenho feito minha parte nessa luta contra o mosquito transmissor?”.

Os moradores em situação de rua, tema de reportagem deste semanário, também foram citados pelo padre. “Não adianta só fazer críticas porque os moradores de rua continuam na mesma situação. Vamos nos unir e discutir com os órgãos competentes o que pode ser feito para ajudar essas pessoas. É preciso se colocar no lugar do outro sempre”.

MAIS UNIÃO E MENOS CRÍTICAS

Padre Santana também falou da união popular para melhorar a comunidade e que com críticas adiamos a solução dos problemas. “A crítica acontece porque eu quero esperar que o outro faça por mim. Não adianta crítica, eu posso fazer alguma coisa pelas pessoas mais pobres que moram perto da minha casa ou trabalho. Preciso descruzar os braços e não esperar que a ajuda venha das esferas políticas. Posso participar dos conselhos e audiências que são realizadas, periodicamente, para discussão de assuntos de interesse de todos”.

As redes sociais são instrumentos utilizados de forma prejudicial. “Gosto de usar as redes sociais para destilar críticas e muitos curtem e compartilham as publicações sem conhecimento de causa. E eu o que estou fazendo? Tudo que é público cabe ao povo que será libertado pelo direito e a justiça. Não posso esperar que algo me aconteça para reivindicar a solução. Antes que ocorra com outros preciso buscar a prevenção”.

A reflexão sobre políticas públicas nos faz entender como elas atingem a vida cotidiana. “O cidadão também pode fiscalizar a atuação do Estado e Município  conhecendo as suas atribuições”, concluiu Santana. 

Mais de 1.200 livros já foram distribuídos na comunidade que debaterá o tema em todas as 21 comunidades que integram a paróquia, nas celebrações na igreja e nas caminhadas da via sacra que acontecem às terças-feiras. A primeira será realizada no próximo dia 12, às 19h30, com saída da matriz até a Comunidade Santo Antônio, no bairro Nosso Teto. Os livros também estão à disposição dos interessados na secretaria paroquial.


Postado em 09/03/2019
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:5.251
Ontem:2.742
Total:7.993
Recorde:5.251
Em - 21/03/19