CASO “BRANCO”

Justiça concede mandado de prisão de suspeito que está foragido

A justiça concedeu na noite do último dia 29 os mandados de prisão temporária, de busca e apreensão domiciliar e de veículos solicitados pela delegada Denise Polizelli, que conduz as investigações do brutal assassinato de Laerte Izopp “Branco”, executado com um tiro na cabeça. O corpo só foi encontrado três dias depois, na zona rural, após denúncia feita no telefone de um policial militar.

O cumprimento da ordem judicial aconteceu no dia 30, às 06h30, quando os policiais civis dirigiram-se primeiramente na casa de um familiar do investigado no centro, onde havia suspeita de que o mesmo estaria pernoitando. Ele não foi encontrado, mas no local foi apreendida uma camionete Hilux. As diligências prosseguiram na Rua José Antônio de Souza, endereço do acusado que também não foi encontrado em nenhum dos imóveis. Segundo a delegada, a partir de então o mesmo é considerado foragido.

 Após a leitura do teor dos mandados os policiais tiveram a entrada franqueada na residência do suspeito, onde foi apreendida uma gravadora digital de vídeo. Na casa de outros familiares, vizinha a sua residência, foi apreendida uma Honda/XRE 300, vendida por Laerte ao suspeito dias antes do crime e também um engate traseiro que estava instalado num Corolla, apresentado à polícia posteriormente porque não estava na residência. Também foram realizadas diligências em outros endereços com intuito de prender o investigado, que não foi localizado e ninguém soube informar o seu paradeiro.

O que se sabe é que a morte de Laerte não aconteceu no mesmo dia do desaparecimento, ocorrido em 14 de maio. Isso indica que antes do homicídio a vítima deve ter ficado escondida em poder dos assassinos. Ainda existem muitos pontos que precisam ser esclarecidos. A Polícia Civil informa que não pode revelar mais detalhes para não atrapalhar as investigações que seguem de forma a encontrar os autores desse assassinato, que chocou toda a cidade. Familiares e amigos clamam por justiça e exigem que os criminosos sejam punidos com o rigor da lei. Hoje completam exatos 24 dias que “Branco” despareceu e 21 dias que seu corpo foi encontrado em uma propriedade rural entre Colina/Monte Azul.

Perito Rones conversa com investigadores João Vitor, Thalles e sargento Hespanhol no local onde o corpo de Laerte foi encontrado.

Policiais aguardam a chegada da funerária para a retirada do corpo da vítima do local onde foi encontrado.


Postado em 08/06/2019
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:7.215
Ontem:
Total:7.215
Recorde:7.215
Em - 22/08/19