“Cacá” é Colina e o Brasil no Pan-Americano de Lima

Antes do embarque cavaleiro foi campeão do CCI 2* na França e faturou 1.200 euros

“Cacá” chega com moral ao Peru após a recente conquista do título de campeão no “Event Riders Masters”, na França. Reprodução

O cavaleiro colinense Carlos Parro “Cacá” chegou em Lima, no Peru, no final de semana para participar do Pan-Americano que começou ontem. Ele integra a equipe brasileira de CCE (Concurso Completo de Equitação) que disputa a competição, que reúne os melhores atletas do planeta.

Antes de embarcar para a América Latina o cavaleiro, que reside na Inglaterra desde 2003, concedeu entrevista à reportagem e acredita que o Brasil tem condições de conquistar medalha no hipismo.  A equipe precisa ficar entre as duas primeiras para garantir vaga nas Olimpíadas de 2020 em Tóquio, no Japão. Apesar de terem o índice, os cavaleiros André Parro (irmão de “Cacá”) e Luciano Miranda Drubi “Lutcho” não participam do Pan. A Confederação Brasileira de Hipismo deu preferência para os animais da Europa e a decisão inviabilizou a participação da dupla colinense.

O Time Brasil de CCE conta também com os conjuntos Marcelo Tosi/Starbucks, Márcio Appel/Iberon JMen, Rafael Mamprin Losano/Fuiloda G e Ruy Fonseca/Ballypatrick SRS. A modalidade, dividida em três provas, será realizada em três dias seguidos: 2/8 (Adestramento), 3/8 (Cross-country) e 4/8 (Salto). A soma do resultado das três provas define os pódios por equipe e individual. As competições hípicas têm como palco o Club Hípico Militar de La Molina, em Lima.

TÍTULO INÉDITO NA CARREIRA

Alguns dias antes do início do Pan “Cacá” conquistou um importante título para a carreira. Ele foi o campeão da categoria CCI 2 estrelas de concurso realizado de 11 a 14 de julho no Haras de Jardy, em Paris, na França, com o cavalo Tullabeg Chinzano. A prova, que faz parte do calendário internacional, teve a participação de 400 conjuntos de todo o mundo que disputaram as categorias de uma até quatro estrelas. A categoria em que “Cacá” foi campeão tinha 60 concorrentes. “Essa foi a primeira vez que participei deste concurso que faz parte do ‘Event Riders Masters’ que é uma série com premiação total de um milhão e quinhentos mil reais. Não foi essa a categoria que participei, mas o concurso atrai os melhores cavaleiros do mundo”, explicou o colinense que ganhou 1.200 euros de premiação.

Essa prova não foi qualificatória para o Pan. “Cacá” já havia conquistado o índice em outras provas internacionais. “Vencer uma competição internacional é sempre importante, mas estar entre os primeiros é o objetivo do atleta. Uns vencem mais e outros menos, mas a meta é vencer cada vez mais”, destacou Parro que começou a praticar o hipismo ainda na infância quando tinha 8 anos.

DEDICAÇÃO DESDE A INFÂNCIA

“Meu irmão André já praticava o esporte e isso me ajudou a começar, mas desde o início foi uma coisa que sempre me dediquei bastante. Tento me superar e buscar ser melhor. Colina é um centro do esporte no Brasil e isso ajudou muito, pois estávamos sempre envolvidos em grandes competições”, contou o cavaleiro que em 2003 mudou para a Europa para treinar e competir com os melhores do mundo.

Para ele a diferença do hipismo no Brasil e Europa é imensa. “No circuito nacional na Inglaterra existe 180 competições no ano e no Brasil por volta de 10, lembrando que a Inglaterra é do tamanho do estado de São Paulo. Durante a temporada, que vai de março a outubro, tenho competições todos os finais de semana e, algumas vezes, também durante a semana”, disse o cavaleiro que logo após a prova na França (14/7) já participou de outra prova na Inglaterra, antes de embarcar para o Pan.

SONHO: MEDALHA OLÍMPICA

O sonho do cavaleiro é a conquista de uma medalha olímpica. “Esse é o sonho de todo atleta que não quer parar nunca. Então se ganhar uma medalha olímpica meu próximo objetivo será ganhar outra”, afirmou o colinense que sempre competiu pelo Brasil.

A notícia do 1º lugar no Concurso Internacional de Hipismo foi compartilhada pelos pais Celso/Naime, inclusive com a postagem do vídeo do momento da premiação. A torcida colinense é grande para que o cavaleiro tenha um bom desempenho e ajude a equipe brasileira a conquistar esse importante título do Pan-Americano. Os jogos já estão sendo transmitidos pela Record (emissora oficial dos Jogos). A Record News e Sport TV, canais por assinatura, também fazem a cobertura. As provas de CCE acontecem nos dias 2, 3 e 4 de agosto.


Postado em 27/07/2019
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:3.732
Ontem:
Total:3.732
Recorde:3.732
Em - 18/09/19