Serial killer perseguida por delegada é o enredo do 1º livro da colinense Larissa

Uma serial killer acima de qualquer suspeita e uma delegada obstinada é o enredo principal de “Prometo Ser Cruel”, primeiro livro da colinense Larissa Oliveira, de 29 anos, que na entrevista ao “O COLINENSE” conta como realizou o seu maior sonho: ter o suspense policial publicado pela Serpentine, editora do Rio de Janeiro, em novembro do ano passado.

A escritora garante que o leitor vai ficar curioso com o que está reservado em cada uma das páginas. “As duas personagens principais, de personalidades fortes, vão bater de frente. A maioria dos assassinos em série são do sexo masculino, mas quis retratar um pouco a mente de uma mulher”, confidenciou Larissa que teve que transpor alguns obstáculos até o livro ser publicado. “Foi uma luta grande, mas tudo valeu a pena. A primeira editora, de Brasília, ficou com o manuscrito parado bastante tempo o que atrasou a publicação que poderia ter acontecido antes”.

CONTO ORIGINOU LIVRO

Ela ingressou no meio literário em 2018 escrevendo contos. “A história da serial killer perseguida pela delegada, ambientada em São Paulo, surgiu de uma das antologias que participei com outros autores. Os pedidos para continuar com a narrativa surpreenderam e o conto, que está na Amazon, se tornou o primeiro capítulo do livro”, contou Larissa que revelou também que não teve nenhum custo com a publicação. “Conheci as proprietárias da editora, que também são autoras, em uma das antologias. Comecei a fazer as capas dos livros da editora que me deu a oportunidade de publicar o livro que entra em pré-venda e com o dinheiro é produzido. A Serpentine não cobra nada do autor só a revisão que, no meu caso, foi feita por uma amiga”.

INSPIRAÇÃO PRECISA SER APROVEITADA

Larissa disse que a inspiração é o que move o autor que precisa aproveitar esses momentos para escrever. “Demorei um ano para concluir o livro e neste tempo sentei apenas duas vezes para redigir a estória”. A escritora maratona séries policiais e a ideia para o conto, que deu origem ao livro, surgiu ao assistir um documentário sobre um serial killer norte-americano. “Todo assassino em série tem uma assinatura. A do meu livro é arrancar o coração das vítimas”, revelou  a autora que agradece o incentivo da família e principalmente dos pais Pedro Bernardo/Luciana.

CASA É QUASE UMA BIBLIOTECA

A preferência por terror e policial surgiu na escola quando leu Pedro Bandeira, escritor de livros infanto-juvenis. “Não parei mais de ler e minha casa é quase uma biblioteca. Com a pandemia estamos presos no mesmo lugar e os livros nos transportam para outros lugares. Na escola lemos títulos indicados que, às vezes, não são tão legais. É preciso dar espaço para o diferente, conhecer outros gêneros e os estudantes vão gostar mais do que imaginam”.

Larissa adiantou que já está escrevendo o 2º volume do livro que  será entregue à editora até dezembro. “A estória desta vez se passa no interior de São Paulo, uma atmosfera mais próxima a nós”, contou a autora que pretende seguir a carreira literária.

Ela estudou na ETAM “São Francisco de Assis” e “Lamounier de Andrade” e disse que pretende fazer uma noite de autógrafos aqui em Colina. Atualmente  trabalha em uma loja no Shopping de Barretos.

O livro tem 149 páginas, custa R$ 35,00 e pode ser adquirido pelo fone (17) 98123-0298 ou no Instagram da autora: @literarychat e @laaryoliveiraa

Larissa sempre foi incentivada pelos pais, Pedro/Luciana, que acompanharam a entrevista.

Larissa com o seu livro “Prometo Ser Cruel”.

 

 


Postado em 10/06/2021
Por: A Redação
Publicidade

Atendimento

(17) 3341-1180
Seg à Sexta das 08h às 19h Sab das 09h às 12h
Ouvidoria
Fale Conosco
Desenvolvido por:

DIgraca.com.br
Siga-nos

Estatisticas

Hoje:3.272
Ontem:2.822
Total:6.094
Recorde:3.272
Em - 18/06/21